estadao.com.br (© Grupo Estado - Copyright 1995-2010 - Todos os direitos reservados.)
Atualizado: 11/02/2014 23:06 | Por estadao.com.br

Estação Adolfo Pinheiro do Metrô será aberta nesta quarta

Inauguração estava prevista para o dia 1º de fevereiro, mas não aconteceu por questões de segurança


 A Estação de Metrô Adolfo Pinheiro, da Linha 5-Lilás, será entregue nesta quarta-feira, 12, pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e ficará aberta para visitação gratuita de segunda a sexta-feira, entre 10h e 15h. As obras começaram em agosto de 2009.

A entrada não será cobrada para os usuários que queiram visitar a estação. Para a viagem até a Estação Largo Treze, também não será cobrada tarifa. Já os usuários que quiserem prosseguir viagem em direção às outras estações da Linha 5-Lilás deverão adquirir bilhete ou acessar a área paga da estação, conforme orientação dos funcionários do Metrô.

A Adolfo Pinheiro será a primeira estação a ser entregue desde 15 de setembro de 2011, quando foram abertas República e Luz, na Linha 4-Amarela. Ainda neste ano, Alckmin quer abrir outras sete, nas Linhas 4-Amarela e 15-Prata.

Atrasos. Prevista para ser inaugurada no dia 1º de fevereiro, a abertura da estação de metrô Adolfo Pinheiro, da Linha 5 - Lilás, foi adiada na véspera, por meio de nota divulgada pelo Metrô. O informe dizia que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) havia determinado a suspensão da visita assistida à nova estação por questões de segurança. De acordo com a nota, a medida foi tomada "tendo em vista exigências adicionais de segurança solicitadas pelo Corpo de Bombeiros". 

No final de janeiro, o Estado teve acesso à parada e constatou que, três dias antes da entrega original, ainda havia muita coisa a fazer, como a conclusão das portas de plataforma de um lado inteiro dos trilhos - uma estrutura complexa de 132 metros de extensão. Na época, boa parte do terreno onde foi escavada a estação ainda não tinha recebido nenhum trabalho de paisagismo, deixando a terra exposta à intempérie.

Vídeo

mais vídeos »

MSN Brasil no Facebook

para cimapara baixo