Em um balanço ainda parcial, o carnaval de 2011 já teve mais acidentes nas estradas do que o de 2010. As rodovias federais registraram um aumento de 32% no número de mortes, 12% no de feridos e em 10% no de ocorrências. Foram 189 mortos, ante 143 em 2010.

Os números parciais levam em conta o período de meia-noite de sexta-feira até 23h59 de anteontem. Como todo ano, o sábado de carnaval foi o mais perigoso do feriado, com 58 mortes e 1.046 acidentes - o mais grave, uma colisão entre um ônibus e uma carreta na BR-282 em Santa Catarina, matou 27 pessoas.

No total, 3.563 ocorrências até terça-feira deixaram 2.152 pessoas feridas, ante 1.912 em todo o carnaval do ano passado. Os números divulgados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) são obtidos com base nos relatórios de 400 postos em 66 mil quilômetros de estradas federais.

'É preciso levar em conta que foi um carnaval chuvoso e isso piora bastante a condição das estradas', explica o advogado especialista em trânsito José Almeida Sobrinho. 'Além disso, as pessoas saem descontraídas demais, por causa do feriado prolongado, e esquecem um pouco das obrigações no trânsito.'

Lei seca. A quantidade de acidentes com ou sem vítimas continua subindo desde 2009, o primeiro carnaval da lei seca. Naquele ano foram registrados 1.784 feridos e 2.865 acidentes - um aumento de mais de 20% nos dois índices. Se comparados os números de vítimas de 2009 para cá, o aumento foi de 48% (de 127 para 189).

A PRF ainda não divulgou as causas dos acidentes nem os Estados que lideram o ranking deste ano. Por ter mais rodovias federais, Minas Gerais sempre tem mais ocorrências.

Por outro lado, o número de pessoas flagradas no bafômetro e presas por embriaguez diminuiu do carnaval de 2010 para cá. Neste ano, a PRF fez 972 testes que deram positivo e 437 pessoas acabaram presas. No ano passado, 1.235 foram autuadas por exceder o limite de álcool no sangue e 593, presas.

São Paulo. A Polícia Rodoviária Estadual de São Paulo também divulgou balanço, que contabiliza as ocorrências de sexta-feira até o meio-dia de ontem. Nas rodovias paulistas, o número de acidentes cresceu 18%: foram 1.553, ante 1.315 no mesmo período do ano passado.

A quantidade de mortos e feridos caiu: foram 41 mortes no ano passado, ante 24 neste ano, queda de 41%. Os acidentes de 2010 deixaram 814 feridos; neste ano, foram 676.

'Em São Paulo, esses números se explicam porque a quantidade de carros é grande e a velocidade da viagem nas estradas, reduzida. Então, são mais acidentes, com menos gravidade', diz José Almeida Sobrinho.