Os seis municípios com as maiores participações no Produto Interno Bruto (PIB) do País, todos capitais, representavam em 2008 cerca de 25% do PIB brasileiro: São Paulo tinha 11,8%; Rio de Janeiro, 5,1%; Brasília, 3,9%; Curitiba, 1,4%; Belo Horizonte, 1,4%; e Manaus, 1,3%. São Paulo, apesar de se manter como a principal economia, perdeu participação no PIB brasileiro de 2007 (12,1%) para 2008. Os dados foram divulgados hoje na pesquisa PIB dos Municípios, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O levantamento mostra que os 1.313 municípios com os menores PIB - onde residia 3,4% da população em 2008 - respondiam por apenas 1% do PIB do País. 'A concentração permanece semelhante à dos anos anteriores', observam os técnicos do instituto no documento de divulgação da pesquisa. Os cinco municípios de menor PIB em 2008 foram: Areia de Baraúna (PB), São Luis do Piauí (PI), São Félix do Tocantins (TO), Santo Antônio dos Milagres (PI) e São Miguel da Baixa Grande (PI), em ordem decrescente.

De acordo com a pesquisa, de 2007 para 2008, Campos dos Goytacazes (RJ) apresentou o maior ganho de participação porcentual no PIB do País, de 0,8% para 1,0%, 'devido ao aumento de produção de petróleo e gás natural e à alta do preço do petróleo'. Por sua vez, o município de São Paulo, 'com economia extremamente integrada à do Estado', perdeu participação principalmente em alguns segmentos da indústria de transformação, como o de metalurgia básica - não ferrosos, produtos farmacêuticos, indústria de máquinas para escritório e equipamentos de informática. Nos serviços, houve perdas em alguns itens do varejo, como revendedores de veículos e distribuição de combustíveis.

PIB per capita

No que diz respeito ao PIB per capita (por pessoa), o município de São Francisco do Conde (BA) tem o maior do País (R$ 288.370,81). A coordenadora da pesquisa, Sheila Zani, ressalta que o resultado do PIB per capita representa a geração de riqueza nos municípios dividida pela população - mas não revela a riqueza apropriada. Ou seja, muitas vezes o tamanho da população é que determina a posição de determinado município no ranking. São Francisco do Conde, por exemplo, tem baixa densidade demográfica e abriga a segunda maior refinaria em capacidade instalada do País.

O município de Jacareacanga, localizado no sudoeste do Estado do Pará e na divisa com o Amazonas e o Mato Grosso, possuía, em 2008, o menor PIB per capita (R$ 1.721,23) entre os 5.564 municípios brasileiros. Os técnicos do IBGE explicam que esse município tinha, aproximadamente, 60% da sua economia dependente da administração pública e alto grau de dependência de transferências governamentais.