O brasileiro Eduardo Saverin era o número dois do Facebook nos seus primórdios, em 2003. Mais jovem integrante da lista de bilionários da Forbes, com uma fortuna estimada em US$ 1,15 bilhão, e melhor amigo de Mark Zuckerberg na Universidade Harvard, ele chegou a ser dono de cerca de 30% do site de relacionamentos na época do seu lançamento, além de atuar como diretor financeiro.

Nos anos seguintes, o brasileiro teria sido passado para trás por Zuckerberg, segundo livros sobre a formação do Facebook e o filme de A Rede Social.

Sua participação na empresa se reduziu para menos de 1%. Depois de acordo em 2009, Saverin recebeu 5% das ações do site e tem o direito de usar o termo 'cofundador' do Facebook.

Os detalhes do acerto do brasileiro com o Zuckerberg não são claros. Os dois lados evitam dar declarações sobre o tema. Procurado pelo Estado para conceder entrevista, Saverin não respondeu.

Nascido em São Paulo, ele se mudou ainda criança para Miami, nos anos 1990. Aos 18 anos, foi estudar em Harvard, onde se formou quatro anos mais tarde em economia com distinção acadêmica.

Na universidade, considerada uma das mais tradicionais dos EUA, Saverin conheceu Zuckerberg, judeu como ele, e os dois rapidamente se transformaram em melhores amigos.

No filme, de acordo com crítica publicada nesta semana na revista New Yorker, Saverin aparece como 'um rapaz decente, mas sem imaginação e um pouco tímido'.

O brasileiro, segundo o escritor Ben Mezrich, autor do livro Bilionários Acidentais, uma das principais fontes para o filme, afirma publicamente que ele foi relutante em dar informações sobre a história do Facebook.

Já alguns blogueiros especulam que Saverin é responsável por ter vazado uma série de histórias relacionadas a Zuckerberg.

Atualmente, Saverin vive em Nova York, de acordo com a sua página no Facebook. Segundo o site, o brasileiro trabalha com investimento em alta tecnologia e gosta de xadrez, futebol e 'acompanhar furacões'.

Como quase ninguém sabe exatamente seu paradeiro, a não ser pela página no Facebook, sua vida passou a ser tema de uma série de teorias da conspiração.